terça-feira, 26 de maio de 2020

PROFESSORA YOLE E CORONEL KREBS
João Cândido Martins


Mexendo em algumas fotos antigas do tempo em que estudei no Colégio Militar de Curitiba (1985-1988), encontrei essas imagens que mostram dois dos professores mais marcantes que tive em minha vida.

Professora Yole lecionava português. Tive aulas com ela da 5ª à 7ª série. Ela era exigente, rigorosa e, ao mesmo tempo, simpática e maternal. Graças a ela, eu entendi o que era um predicativo do objeto. Tive de entender, porque ela nos fazia analisar 50 frases por aula e explicava cada uma das situações, realmente não tinha como não absorver aquilo.



De modo geral, ela era temida pelos colegas, mas eu me dava bem com ela. Professora Yole foi responsável pela indicação de várias leituras que moldaram meu caráter. Uma vez, emprestei a ela o livro "O apanhador no campo de centeio", do J.D. Salinger, queria saber qual seria a opinião dela. Ela disse que achou interessante, mas que em alguns momentos ficou exasperada com o personagem principal, que passa o livro inteiro dando cabeçadas. Eu disse que esperava que ela não tivesse ficado chocada com os palavrões que o cara diz ao longo do livro. Daí ela respondeu que seu ofício era a palavra, portanto, ela não estava em posição de sentir medo de palavrões escritos ou falados. Depois do colégio, nunca mais a vi, mas, de certa forma, ela me acompanha até hoje.

Na outra foto apareço eu, o filho do coronel Krebs e o coronel Krebs. Eu e alguns colegas tivemos aulas particulares com ele, de geometria plana e trigonometria. Coronel Krebs passou anos estudando esses assuntos e conseguia resolver em segundos qualquer questão de concurso ou vestibular. Ele não só resolvia a questão, como também mostrava mais umas três ou quatro formas diferentes de solucionar o problema. Ao mesmo tempo, ele contava de forma engraçada a história do Euclides e todos esses matemáticos que criaram essas fórmulas. Eu me rachava de rir. E ele também contava histórias do seu tempo na Academia do Exército. Uma figura singular.



Sem comentários:

Publicar um comentário