quarta-feira, 27 de maio de 2020

TAIGUARA
João Cândido Martins ·

No dia do aniversário do Golpe Militar de 1964, nada melhor do que lembrar a figura de Taiguara Chalar da Silva, o Taiguara, recordista de músicas censuradas pelo regime. Ao todo, entre os anos 60 e 70, o compositor viu 68 músicas suas serem vetadas à divulgação. Outros como Chico Buarque, Gonzaguinha e Geraldo Vandré também foram alvos regulares da censura, mas Taiguara foi vítima de uma indisfarçável perseguição. Alguns acreditam que tudo começou quando ele tomou a iniciativa de pesquisar a música ameríndia, o que foi visto como subversivo pelos censores. 


Convém lembrar que os censores emitiam ordens de prisão contra Sófocles e Shakespeare. De certa forma, Taiguara também foi uma espécie de "maldito", pois sua carreira, apesar de alguma projeção, sempre ficou à margem.

Algumas músicas mais cohecidas
Hoje https://www.youtube.com/watch?v=duM_S8J9KuY
Universo do teu corpo https://www.youtube.com/watch?v=PNOvZCK2umE
Paz do meu amor https://www.youtube.com/watch?v=KGy0sUUmkgE

Destaque para o disco Imyra, Tayra, Ipy (1976), que foi proibido na íntegra, sendo lançado no Brasil somente em 2013 https://www.youtube.com/watch?v=UQBIS1ViH0o



Tocaram no disco:
Taiguara - voz, piano, sintetizador, mellotron (flauta), arranjos e orquestrações ( lado A: faixas1,2,3,5, 6,7: lado B: 3,7)
Hermeto Pascoal - flauta, flauta baixo, arranjos e orquestrações (lado A; faixa 4; lado B: faixas 1,2, 4, 5, 6)
Toninho Horta - violão
Nivaldo Ornelas - sax soprano, sax tenor, flauta
Wagner Tiso - Regência
Novelli - baixo acústico
Zé Eduardo Nazário - percussão, bateria em A volta do Pássaro Ameríndio
Paulo Braga - bateria, percussão em Três Pontas
Jaques Morelenbaum - violoncelo
Ubirajara Silva - bandoneon em Primeira Bateria
Lúcia Morelenbaum - harpa

Sem comentários:

Publicar um comentário