quinta-feira, 28 de maio de 2020



LISANDRA SOUTO, 1990
João Cândido Martins

Em 1990, a janta para os alunos do Internato do Colégio Militar de Porto Alegre (CMPA) começava impreterivelmente às 18 horas. Mas houve dias em que neste horário o refeitório ficou praticamente vazio, porque todos (na faixa dos 15 aos 17 anos) estavam empilhados na sala de televisão para ver Lisandra Souto (Foto 1) na novela "Gente Fina", da Rede Globo. Quando ela aparecia, alguns aplaudiam, outros assoviavam. Eu, particularmente, preferia observar em silêncio e com a calma de quem aprecia um quadro.

Aparentemente foi tudo uma febre momentânea: depois de um tempo, a maioria dos alunos voltou a procurar o refeitório no horário estipulado. Outros continuaram prestigiando Lisandra até o último capítulo, eu entre eles. O culto à atriz foi interessante, na medida em que juntou caras que não tinham maiores contatos dentro do internato.


Da novela em si, não lembro nada. Quando Lisandra não estava na tela, ficávamos conversando sobre outras coisas. Não acompanhei a carreira da atriz, mas sei que no mesmo ano de 1990, ela participou com destaque de outro enredo televisivo: "Meu Bem Meu Mal" (Foto 2), no horário das 20h. Quando isso aconteceu, eu estava numa fase de total desinteresse por assistir TV. Não tenho a menor ideia de qual é a dimensão da contribuição dela para a televisão e o cinema brasileiros, mas isso pouco importa, porque atriz se cristalizou na memória de milhões de adolescentes (ou, pelo menos, na minha).


Da trilha sonora da novela, só guardei esse samba da Beth Carvalho (Fotos 3 e 4), grande nome da música 
brasileira, que por ser petista convicta, teve sua morte em 2019 também ignorada pelo governo Bozo.

Trilha Sonora da Novela “Gente Fina” (Rede Globo, 18:00)
Sonhando Eu Sou Feliz (Arlindo Cruz, Marquinho PQD e Franco) com Beth Carvalho
https://www.youtube.com/watch?v=_Sw5yB9SS0Q















Sem comentários:

Publicar um comentário